Conquista do Paredão "CEB 100" (3° IVsup E1/E2 - D1 - 140m)

Mais uma belíssima via em Petrópolis, no Morro da Reunião, desta vez, em homenagem ao centenário do Centro Excursionista Brasileiro (CEB)!

Pedro Bugim e Laura Petroni no final da conquista do Paredão "CEB 100" (3° IVsup E1/E2 D1 - 140m)

O Centro Excursionista Brasileiro (CEB), clube em atividade mais antigo do Brasil completa em novembro de 2019, 100 anos de existência. E nada mais justo do que prestar diversas homenagens por toda a sua contribuição para com o surgimento do montanhismo organizado e cultura do montanhismo nacional. Neste âmbito, elenquei a forma mais próxima ao meu feitio, para eternizar este momento histórico.


Já conhecendo bem as paredes do Morro da Reunião, no bairro do Bonfim, Petrópolis, decidi conquistar uma linha que aparentava ser incrível, não apenas pelas características da parede, como também pelo acesso simplório, beleza da região e pela proximidade com a tradicional entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. O acesso à parede é descrito em outro post, podendo ser acessado aqui.

Pedro Bugim batendo a primeira chapeleta do Paredão "CEB 100" (3° IVsup E1/E2 D1 - 140m)

Com essa ideia em mente, fomos eu e Laura, novamente ao Morro da Reunião, no sábado (dia 25/05/2019) pela parte da manhã. O dia estava com um clima agradável, semi nublado e com um ventinho bastante favorável. Não obstante, a época já está mais propícia, com temperaturas mais amenas, o que colaborou bastante.


A trilha à base é bem tranquila e não tardamos nem 15 minutos para encontrarmos a parede, no ponto que seria a base da nova via.


Após organizar todo o equipamento, iniciei a conquista sob segurança da Laura, que bem se acomodava à confortável base. Logo no início, apesar dos lances fáceis, posicionei uma chapeleta para evitar quedas de base. Na sequência, surgem algumas bonitas fendas, protegidas com friends pequenos a médios (do camalot 0.5 ao 1). Logo após as fendas, a via continua em proteções fixas até o topo, sendo este o único lance em proteção móvel. É possível fazer o lance sem esta proteção, mas a exposição aumenta um pouco, apesar dos lances serem verdadeiramente fáceis.

Laura Petroni na P2 do Paredão "CEB 100" (3° IVsup E1/E2 D1 - 140m)

Após o lance das fendas, chega-se a uma "churreeira" (espécie de formação rochosa que forma uma corcova com ótimas agarras, com bastante destaque da parede principal) contínua inacreditável! Foi um deleite conquistar aqueles lances, de tão prazerosos. 60 metros acima da base, com a corda esticada, posicionei a primeira parada da via.


Laura, que anteriormente estava sonolenta e com preguiça, aos poucos foi se desligando destes sentimentos e escalou com uma facilidade incrível, subindo esta primeira parte em poucos minutos. A beleza dos lances e da vista, unidas ao tempo agradável, toraram aquela conquista um perfeito "spa".

Pedro Bugim na conquista da segunda enfiada do Paredão "CEB 100" (3° IVsup E1/E2 D1 - 140m)

A segunda enfiada aparentava ser mais desafiadora: a parede ganha verticalidade e apesar das "churreeiras" ainda existirem de forma contínua, as agarras tendem a ficar menores. Dito e feito! Após cruzar uma pequena vegetação, encontrei o crux da via, em lances de aderência, com a parede bem vertical, ficando a graduação em 4°sup. Na sequência, boas agarras aparecem, facilitando a vida dos escaladores, mesmo com a verticalidade. Os lances são constantes e ficam na casa do 4° grau, até chegar na segunda parada, 60 metros acima da primeira.


Depois deste ponto, há um pequeno trecho com cerca de 20 metros "burocráticos", para atingir a parada final da via. Esta parte possui lances bem fáceis que não passam do 2°sup.


Apesar de toda a conquista ter durado 3 horas (da base à base), a impressão foi de termos passado apenas uns 30 minutos na operação, de tão agradável que estava o clima e de tão gostosos que foram os lances. Confesso que já estou com vontade de repetir!

Pedro Bugim no agradável bosque que leva à base das vias do Morro da Reunião

A proteção foi feita especificamente para que a via tenha boa frequência, sendo adotado um padrão E2 para os lances de até 3° grau. Os lances de graduação mais elevada receberam uma quantidade maior de chapeletas, ficando com padrão E1. Outro facilitador foi o fato de paradas duplas serem batidas a cada (no máximo) 30 metros, permitindo que a via seja feita com corda única de 60 metros.


Ao final, batizamos de Paredão "CEB 100" (3° IVsup E1/E2 D1 - 140m), obviamente em homenagem ao clube pela comemoração dos seu 100 anos. Vida longa ao CEB!


Agradecimentos ao CEB por gentilmente ceder as proteções utilizadas na conquista! E agradecimentos especiais à Laura, que (tenho certeza!) se divertiu bastante neste dia e, como sempre, foi a melhor parceira que eu poderia ter!




0 visualização

© 2018 por PEDRO BUGIM

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round