top of page

Conquista da Chaminé S'Minino

Uma singela homenagem prestada ao grande S'minino Antonio Dias, aproveitando as comemorações dos seus 50 anos de montanhismo, no Parque Nacional da Tijuca.

João Pedro no rapel da "Tchuc-Tchuc", durante a manutenção
Pedro Bugim na conquista da "Chaminé S'minino" (IIIsup E1 - 20m), no Morro do Conde, PNT

Em 2017, eu, Laura (minha esposa) e João (meu filho), tivemos a oportunidade de conquistar 4 belas vias em um novo setor de escaladas nomeado como "Falésia do Conde", bem ao lado da trilha de acesso ao cume. São vias curtas, mas com lances muito interessantes, em sua maioria com a utilização de equipamentos móveis e lances desafiadores. Para ler mais sobre este setor, acesse este artigo. Fato é que, durante estas investidas, eu havia percebido uma bonita chaminé um pouco mais abaixo e à esquerda, mas acabamos não verificando a fundo, deixando esta linha para o futuro.


Eis que em 2024, exatamente para o dia 29 de junho, o Centro Excursionista Brasileiro (CEB) organizou um belo evento, em comemoração aos 50 anos de montanha do guia Antonios Dias, carinhosamente conhecido como "S'minino". O local elegido fora a churrasqueira da Capela Mairink, exatamente na entrada da trilha que leva ao Morro do Conde. Pronto: os ingredientes estavam na mesa e bastava cozinhá-los...


Para quem não sabe, Antonio foi namorado da minha mãe, antes mesmo dela conhecer o meu pai, na década de 60. Acabaram se afastando por acasos da vida e cada um seguiu seu caminho. Infelizmente meu pai faleceu precocemente, quando eu tinha apenas 2 anos, mas deixando geneticamente o gosto pelas montanhas, já que ele também praticava o montanhismo. E graças ao incentivo da minha mãe, eu e minha irmã (Carolina), desde muito pequenos já fazíamos algumas trilhas. Na verdade, mamãe sempre nos colocou para praticar os mais diversos tipos de esporte possíveis e imaginários (até escola de circo fizemos!).


Eu, Antonio e Carol, Agulha do Inhangá, início dos anos 90

Foi então que, no início dos anos 90, durante um curso de guia turístico que minha mãe fazia, uma turma a chamou para conhecer o CEB... Por caprichos do destino, minha mãe e o Antonio acabaram se reencontrando décadas mais tarde, reatando o namoro. Não sei para ela, mas posso dizer com propriedade que foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida!


Antonio, sempre com energia, força e serenidade inabaláveis, estava eternamente pronto para nos mostrar algum lugar novo, desafios cada vez mais complexos, viagens cada vez mais remotas. Quando envolvia um facão e bivaque no meio "do nada" então, eu ia ao delírio! Aos 12 anos ele já me colocava para guiar. Aos 13, conquistei a minha primeira via com ele, eu indo na frente, batendo os grampos "na mão" e até usando equipamentos móveis. Para aquela criança rebelde (sim, fui muito!), era o paraíso!

A família: Mamãe Sonia Bugim, meu filho João Pedro, Sarah (namorada do João), Antonio, Laura e eu
A família: Mamãe Sonia Bugim, meu filho João Pedro, Sarah (namorada do João), Antonio, Laura e eu

Não apenas as excursões, caminhadas e escaladas, mas também a capacidade em ajudar a todos, independente do pedido feito, foram aprendizados que carrego até hoje, e pelos quais sou muito grato ao Antonio.


Bom, voltando ao dia da comemoração... havia uma incerteza quanto ao tempo, já que havia previsão de chuva. Além disso, Laurinha com uma barriga de quase 7 meses de gravidez também era uma incógnita. Mas resolvemos arriscar e rumamos para o Parque Nacional da Tijuca às 8h da manhã. Chegamos na churrasqueira da Capela Mayrink rapidamente e lá encontramos dezenas de associados do CEB, inclusive minha mãe, que faria o Morro do Conde pela trilha normal.

Pedro e Laura na base da Falésia do Conde
Pedro e Laura na base da Falésia do Conde

Eu e Laura subimos em um passo bem leve, sem correria e sem pressa. Ela grávida e eu com quase 30Kg de equipamento nas costas. Com isso, o trajeto com cerca de 1,5km foi feito em exatamente uma hora. O acesso à base da tal chaminé se dá pela trilha normal do Morro do Conde, chegando já próximo ao cume, havendo uma pequena entrada à esquerda, em um ponto no qual a trilha dá uma forte guinada à direita e aonde há um grande bloco de rocha na lateral. À partir desta entrada, são cerca de 30 metros até a parede, na qual existem as 4 vias anteriores, da falésia. Desde a base da falésia, segue-se à esquerda, contornando a parede e descendo por mais uns 50 metros, até chegar na chaminé.

Pedro Bugim durante a conquista da "Chaminé S'minino"
Pedro Bugim durante a conquista da "Chaminé S'minino"

Felizmente, minha memória não havia pregado nenhuma peça: a chaminé era realmente bonita e promissora, embora curta (pelas características daquela parede). Assim, eu e Laura rapidamente nos equipamos, iniciando mais uma conquista.


A escalada em si foi rápida. Foram 20 metros de extensão, protegidos com 4 chapeletas PinGo (rapeláveis) intermediárias, contando com uma parada dupla no topo, que pode ser utilizada para rapel e/ou top-rope.

Vista do topo da "Chaminé S'minino"
Vista do topo da "Chaminé S'minino"

Apesar do tamanho diminuto, ouso dizer que foi uma das chaminés mais gostosas que já fiz até hoje! Sou suspeito para falar, já que eu simplesmente AMO chaminés. Mas esta, em específico, possui a largura perfeita, paredes praticamente paralelas, uma ótima aderência e um visual de tirar o fôlego ao chegar no topo! Uma pena ela ser tão curta....

Croqui da "Chaminé S'minino"
Croqui da "Chaminé S'minino"

No topo da chaminé, onde coloquei uma parada dupla, existe um bom platô, sobre o pináculo formado pelo gigantesco bloco de rocha destacado da parede principal, conferindo bastante conforto ao chegar no final. Além disso, é um ótimo ponto para fazer lindas fotos do PNT, sobretudo, da Pedra da Gávea, Pedra Bonita e Agulhinha da Gávea.


Finalizada a conquista, organizamos o equipamento e voltamos ao local da comemoração. Laurinha acabou optando por não escalar, já que os movimentos para fazer a chaminé poderiam não ser muito benéficos ao bebê.


Obviamente, a homenagem ao Antonio foi espetacular, regada a muito churrasco, cerveja, amigos, alegria e "causos", característicos do S'minino! Nada mais justo do que colocar o nome desta nova via com o seu emblemático apelido.


Toda a turma na homenagem aos 50 anos de montanha do Antonio
Toda a turma na homenagem aos 50 anos de montanha do Antonio (ao centro, com a bandeira do CEB)


126 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page